Yaguara

Please visit our farm’s site for photos and informarion.

Yaguara means “jaguar” in the native Tupi-Guarani language. Tupi-Guarani indians were our region’s first settlers.

Yaguara is our name in part because our farm is called Valley of the Jaguar. We also chose Yaguara as a symbol of balance and tradition. When an area can sustain large, graceful predators like jaguars, it is a land in perfect balance. The chain of life must be strong at each link in order for jaguars to thrive. There haven’t been jaguars in our region for 100 years due to over-hunting. But the idea of the jaguar—noble, graceful, quiet and quick—can live on. By practicing sustainable farming and encouraging the growth of native species, we hope to bring balance and tradition back to our area.

The Várzea da Onça (pronounced Var-zay-ah dah On-sa) estate is located in the mountains of northeast Brazil, where vestiges of Atlantic Rain Forest still exist. Várzea da Onça means “valley of the jaguar.” A century ago, jaguars roamed this valley. Indigenous tribes settled here because of the area’s fertile soils and fresh water springs. In the 1700’s, coffee trees were introduced to the region. The area’s farmers created a unique polyculture of coffee, fruit, and native tree species. We continue this tradition and improve upon it.

Since 1978, our farm has been family owned and operated. The farm’s verdant pastures, tree-covered hills, natural springs, and 100-year-old clay and brick farmhouses create a lush and comfortable environment for thousands of species. The farm is home to hawks, tortoises, tree frogs, hummingbirds, owls, marmosets, foxes, and a wide variety of songbirds and insects. Visitors often ask, “Where is the coffee?” Our coffee trees aren’t immediately obvious because they grow under a canopy of fruit trees and native hardwoods.

Português:
Yaguara significa “jaguar” ou “onça” na língua nativa Tupi-Guarani. Os índios Tupi-Guarani foram os primeiros habitantes da região.

Yaguara é nosso nome em parte porque nossa fazenda se chama Várzea da Onça. Nós também escolhemos Yaguara como símbolo de equilíbrio e tradição. Quando uma área é capaz de sustentar grandes predadores como o jaguar, é porque essa terra se encontra em perfeito equilíbrio. Cada elo da cadeia alimentar deve ser forte, a fim de que animais como as onças possam prosperar. Há 100 anos não se encontram onças em nossa região devido à caça excessiva. Mas a idéia da onça, este ser nobre, elegante, rápido e silencioso permanece. Ao praticar uma agricultura sustentável e incentivar o crescimento de espécies nativas, esperamos trazer equilíbrio e tradição de volta à nossa área.

A Várzea da Onça está localizada nas montanhas do nordeste brasileiro, onde vestígios da Mata Atlântica ainda existem. Várzea da Onça é sinônimo de “vale do jaguar.” Há 100 anos atrás, onças corriam soltos pelo vale. Tribos indígenas estabeleceram-se aqui por causa do solo fértil e da abundância de nascentes de água doce da região. No século XVIII, as primeiras mudas de café foram introduzidas na região. Os fazendeiros locais criaram então uma policultura de café, frutas, e espécies nativas, única da região. Nós seguimos essa tradição e continuamos a aprimorá-la.

Desde 1978, a fazenda pertence à nossa família e somos nós que a administramos.
As pastagens verdes, as colinas cobertas de árvores, nascentes de água doce, e casas centenárias de argila e tijolos, criam um ambiente exuberante e confortável para milhares de espécies.

A fazenda é também o lar de gaviões, tartarugas, sapos, beija-flores, corujas, saguis, raposas, e uma grande variedade de pássaros e insetos. Os visitantes costumam nos perguntar: “Mas onde está o café?” Nossos cafeeiros crescem sob a sombra das copas de árvores frutíferas e madeiras nativas, por isso não são avistados facilmente.

Leave a Reply